Carnaval pelo Rio na companhia de Esdras

ilhas cagarras_quase morta_01

a obsessão pela animação nunca foi o meu forte, nem dos meus amigos, e se for falar a respeito de Esdras, a obsessão é ainda menor. Todavia como não se animar no carnaval do Rio de Janeiro?

Tentei, tentamos, porém, do nosso modo: nos infiltrados nos blocos, brincamos e pulamos como bons foliões, conseguimos seguir esse ritmo por um dia e meio, daí pra frente observar a cidade tomada por milhões de pessoas de todo globo terrestre ficou mais aprazível, também tentamos estabelecer conversas, seguida de longas pausas, que buscava entender o que impulsiona essa felicidade coletiva, esse hiato do cotidiano, catarse carnavalesca.

Estar rodeado de muitas pessoas me fez olhar para dentro, dentro de casa, na ocasião, minha casa era um hostel (albergue) localizado na rua Toneleiros em Copacabana. Hostel é uma espécie de lugar não lugar, onde você tranca seus pertences, tem conversas clichês, o café da manhã vai até as 10h, dorme-se em coletivo, comparte do mesmo varal de roupas, dá-se boa noite em pelo menos três línguas diferente e no meu entendimento o sentimento de família está presente.

O quintal em especial foi um oásis no meio da festa carnal, ali me senti em casa e confortável para fotografar, brilhou aos olhos, observar o tempo que um cigarro queima passou a ter outro sentido, a passagem da porta para o portão sempre era uma surpresa, não se sabia quem entrava ou saía, e quase todas as plantas eram de plástico – morta – flores de plásticos, exceto por uma renda francesa, recordei da “anti-sala externa” de casa (SP), até mesmo porque tenho uma renda francesa similar.

As fotografias feita nesse período carnavalesco foge do consciente coletivo das festas, blocos de ruas e escolas de samba, por sequencia as vezes eu fugia também dessa animação, mesmo introduzido de corpo presente no que é considerado o maior carnaval do mundo, ofereço esse passeio pelo lugar não lugar na companhia do amigo Esdras Jr e de uma natureza quase morta.

_MG_0226_2943

_MG_0251_2968

ilhas_quase morta_00 copy

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////// 53R35

©fernandoBanzi

1 comentário
  1. Filipe disse:

    Belo texto doc. Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: